domingo, 10 de janeiro de 2010

Um ponto no céu


Desde há um tempo vinha pensando em parar este blogue. As motivações que há um ano deram lugar a ele já não são as mesmas. Quero-me despedir agradecendo a vossa atenção, com comentários ou sem comentários. Para mim foi uma muito boa experiência. Significou voltar a escrever depois de muitos anos sem o fazer. Mas a vida continua e a fidelidade às próprias palavras obriga a não abusar das mesmas.


Olhando para atrás sempre há cousas que modificaria mas é a lei da vida. Peço aos amigos benevolência e que saibam tirar o trigo do jóio, aquilo que tem valor por si mesmo do que não são mais do que expressões caracteriológicas ou de personalidade. Como diz um velho aforismo com o que me quero despedir:


"Não há mérito no bom que aqui percebes pois não me pertence

só o erro é da minha própria colheita,

esses são os méritos próprios"


Um sorriso e um grande abraço, amigos.

10 comentários:

Esdedesear disse...

Siento la pérdida y te echaré mucho de menos, espero volver a leerte en algún otro formato y haré esa espera mirando al cielo mientras tanto. Gracias por tus palabras inteligentes, serenas y llenas de aliento.Ha sido un verdadero placer. Un cariñoso abrazo.

José António Lozano disse...

Muchas gracias, Conchita. Has sido una presencia constante a lo largo de este año, suscitando a través de tus comentarios nuevos derroteros del pensamiento. Es un gran recuerdo que me llevo para siempre.
Pero al poner un punto y final al blog siento que es bueno aprender a despedirse y desapegarse de "nuestras cosas". Una fuerza sencilla se prepara en el interior.
Un afectuoso abrazo, amiga.

Ramiro disse...

Caro navegador:
Sinto que as suas viagens são múltiplas, umas visíveis, como esta em que estamos a falar, e outras, quiçá as mais, invisíveis, e, talvez, mais produtivas e proveitosas para você e a humanidade toda.
Aguardo que possamos encontrar-nos noutro momento em que considerar preciso aparecer na aranheira, na segurança de partilhar já uma silenciosa nave comum no coração.
Saúde e um abraço de seu amigo, se me permitir esta licença.

Casteleiro disse...

Querido amigo,

lamento inevitavelmente o fim desta navegação, mas é pouca a minha lamentação, pois intuo que continua viva a tripulação toda, após este desembarque. Doravante, as crónicas da tua aventura continental (ou da tua chegada a uma outra ilha neste arquipélago que sonhamos)ficarão escritas na areia do teu coração...

Um abraço.

José António Lozano disse...

Amigo Ramiro,
envio-te um abraço de gratidão mas não me peças licença. Penso que tenho muito por andar e navegar mas as tuas palavras são a medida da tua própria aspiração.
Novamente graças e não há dúvida que nos voltaremos a encontrar.Grande abraço

Querido Pedro,

andam-me na cabeça os cenários de um velho em Lisboa, que nos seus últimos dias passeia pela cidade, para nos parques, janta só e, entretanto, vai contando uma épica história de lutas e amores num antigo cenário de Asia Central entre bárbaros mongóis, manchus, místicos e poetas.

Quem sabe, quiçá algum dia, realmente o possa escrever. Entretanto tenho uma dívida contigo ( e sobretudo comigo próprio)que me ata a "Oriente", um dos melhores poemários da literatura galega dos últimos anos.
Espero resolvê-la proximamente

Um grande abraço.

Fátima Campilho disse...

Lozano,

Não desista daquilo que você conquistou.
A não ser que tenha algo melhor e urgente para se dedicar. Se não,continue, insista, escreva quando puder e quiser. É o que tenho feito.
Abraços

Anónimo disse...

cobarde

José António Lozano disse...

¡Ánimo, valiente!

Anónimo disse...

Hola. Yo fui alumna y buena amiga del Dr. José Blanco Regueira en Toluca.
Me alegra haber conocido un poco más de Pepe a través de su blog.

José António Lozano disse...

Casualmente he vuelto al blog (lo hago muy de vez en cuando) y estos días me acordaba de José Blanco, de cuando nos conocimos a propósito de un curso de doctorado sobre Nietzsche y todas las situaciones que se dieron posteriormente. Resulta que teniamos hasta conexiones familiares (un tío mío había servido de enlace para enviarle una carta de su padre en la época en que era buscado por la policia) Si desea mantener un contacto más personal mi e.mail es:

joseantoniolozano786@gmail.com

Es curioso pero hoy me acordé de um alumno suyo llamado Enrique Sarmiento. ¿Lo conoce?
Me gustaría tener noticias sobre su familia pues he perdido el contacto.